Abena apoia petição para regulamentar o exercício do enfermeiro na estética

Abena apoia petição para regulamentar o exercício do enfermeiro na estética

Por que isto é importante

Prezados Sras. e Srs. do COFEN e CORENES (Conselho Federal de Enfermagem e Conselhos Regionais de Enfermagem)

Nós somos a favor do exercício da Estética na Enfermagem!

Estamos reunindo o máximo possível de assinaturas de enfermeiros e estudantes de enfermagem para que o COFEN e CORENES aprovem execução de procedimentos estéticos por nós enfermeiros e futuros enfermeiros.

PROBLEMA:

Pesquisando a respeito vimos que já existem alguns pareceres favoráveis, porém, ainda não definidos por Resolução do COFEN. Visto que a outras profissões tão respeitadas na área de saúde como a biomedicina, a fisioterapia e a farmácia já conquistaram este direito respaldado por seus respectivos conselhos, inclusive respondendo como responsáveis técnicos em clínicas de estética, independente do médico, seria interessante que nossa profissão também conquistasse este espaço.

É mais uma oportunidade para que nós Enfermeiras e Enfermeiros, desde que capacitados, trabalhássemos de forma autônoma. Não existe nenhuma legislação no momento citando que Estética seja privativa de uma única profissão. Portanto, consideramos relevante a nossa solicitação e precisamos do seu apoio neste abaixo assinado!

Com o Brasil em crise, várias áreas da enfermagem saturadas e desvalorizadas, a estética é um dos poucos setores da economia que continua crescendo e absorvendo profissionais da saúde capacitados e, principalmente, a força feminina de trabalho.

SOLUÇÃO:

Já encaminhamos uma solicitação à ouvidoria do COFEN e a resposta foi bem positiva:

“(…) por meio do Parecer Técnico n° 197/2014, exarado pela Câmara Técnica de Legislação e Normas do Cofen (CTLN), disponível no Portal Cofen, há concordância sobre a liberação de procedimentos estéticos a serem realizados pelo profissional Enfermeiro. As mudanças no perfil epidemiológico da população exigem reavaliação permanente dos modelos de formação e de prática, em busca de aprimoramento e especialização. As antigas e atuais necessidades de saúde da população, particularmente na área da dermatologia, geram a necessidade de atualização, além da criação de novas modalidades de atenção e o desenvolvimento de campos específicos de conhecimento e áreas de atuação, como se observa hoje na dermatologia estética e cosmiátrica. Tal fato requer consequentemente, o desenvolvimento de competências e habilidades apropriadas por parte dos enfermeiros, para que possam atender com qualidade, eficiência e competência técnica, humana e científica, as atuais demandas por uma atenção integral e resolutiva nos cuidados com a pele e o tratamento de feridas (MANDELBAUM, 2011). Assim sendo, acreditamos que brevemente o Cofen, por meio de seu Plenário, deliberará a respeito de uma nova Resolução que contemplará a especialização em comento, bem como a alteração da Resolução Cofen 389/2011.”

Vamos apoiar o nosso Conselho Federal e dizer que também concordamos que o uso de agulhas, injeções e produtos perfurocortantes não são considerados como procedimentos invasivos, e portanto, excetuam-se do rol de atividades privativas do médico. E que reivindicamos ao COFEN o direito de exercermos plenamente nossas competências junto aos mais amplos procedimentos estéticos sob comprovação clínica e científica.

0 Comentários

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*